quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A garota que tinha desejos;

Ela, como toda pós adolescente retardada, ainda sonhava com um amor pra toda vida.
Ela sonhava com a cara perfeito (a sua maneira), que soubesse tocar violão, que desenhasse bem, usasse all star, deixasse ela de vez em quando e só de vez em quando ser o Player 1 dos games, que ele a amasse e que se tornasse um bom pai.
Tão pisoteada e cansada de todos os seus sentimentos barateados em prateleiras empoeiradas, rezados em longas preces silenciosas.
Ela achava que tinha o direito de querer alguém.
Afinal, ela era bonita, inteligente, engraçada e um nível duvidoso de humildade. Não era o que todos queriam?
Não era o suficiente.
E mais uma vez, de uma vez por todas, como a última vez, ela rotulou mais um sentimento pra colocar na estante, ilustrado com belos dias de sol a dois e sorrisos apertados, encaixado no arquivo de casos sem solução.

Lirian Galinari

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário