quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Eu sei que você sabe;

Primeiro que paixão deve ser coisa discreta, calada, centrada. Se você começa a espalhar aos sete ventos, crau, dá errado.
(Caio F. A cidade dos entretons, in: Pequenas Epifanias)
Se eu fosse tão boa escritora, quanto sou como sofredora, estaria rica vendendo Best Sellers sobre amores baratos.
Se eu cumprisse todas as metas e promessas, dietas e receitas,
estudos e linhas que prometi ao longo dos anos...

Se eu não amasse como jurei que não amaria pela última vez,
e só dessa última vez eu realmente pusesse um ponto final.
Tantas foram as coisas que eu disse e planejei, sobre mim.

Tantas foram as vezes que eu quis me bastar.
Sei que sou inteira, sei que não preciso de braços, pés, mãos e olhos alheios para sobreviver.
Sei anatomia.

E dou graças a Deus todos os dias por isso.
Mas isso não me impede de
desejar a completude do calor de outro corpo,
 o desejo de outros olhos, o afago de outras mãos.

Não existe beijo unilateral.

E eu queria pela primeira vez, e só dessa primeira vez que tudo fosse real,
fora da minha imaginação.
Eu sei que o amanhã há de ser bom,
mas eu queria que o hoje fosse tão radiante quanto os sóis futuros.
Não tenho paixão.
O que eu tenho sou apenas eu e uma profusão de sentimentos bonitos pra dividir.


Lirian

.


Um comentário:

  1. ' Haja coraçãooo .. Lindo Textoo
    Quase PERFEITO pra Hojee !

    ResponderExcluir