segunda-feira, 29 de agosto de 2011

E quando você chegar;

Sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão.
Ei! Grita meu nome e diga: "eu odeio quando você me faz esperar".
Me conforta num abraço fraternal, um tanto quanto apertado, mas eu não reclamo.
Me sinto bem até.
Você se encaixa na minha existência (você sempre soube disso, sei que soube),
afinal é pra isso que o amor da sua vida aparece coincidentemente na sua vida,
 como aquele temporal que te pega no meio do dia, sem guarda-chuva, sem proteção.
E te molha de amor dos pés a cabeça.
Foi me achando na tua presença que aprendi,
que sem ti, sentir é tão útil quanto ter uma bússola sem norte.
E isso é realmente triste quando se esta perdido.

 
E justo na minha vida (torta, perdida e bagunçada),
você me sorriu, como uma boa notícia no jornal das seis.


Com amor, Lirian.

Nenhum comentário:

Postar um comentário