domingo, 31 de outubro de 2010

Espelho;

"Eu não me preocupo tanto com o que acham de mim.
Quem geralmente acha, não achou, nem sabe ver a beleza dos meus avessos, que nem sempre eu revelo.
 O que me salva não é o que os outros andam achando de mim, mas o que Deus sabe a meu respeito. Eu só dou valor às palavras e pensamentos produtivos,
construtivos,
 normalmente vindos de pessoas que me amam verdadeiramente."



(Pe. Fábio de Melo)
 
.

sábado, 30 de outubro de 2010

Um dos posts mais belos;

Tumblr_l20ffhcdhg1qbyyhjo1_500_large
No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse. Havia algo delicioso de se sentir que escorregava de dentro da gente e se esparramava no sorriso. Escapulia no olhar. Cantava no silêncio. Fazia florescer pés de sol no tempo encantado em que estávamos juntos. Dispensava nomes e entendimentos. Havia algo que tinha um cheiro inconfundível de alegria. De vida abraçada. De chuva quando beija a aridez. De lua quando é cheia e o céu diz estrelas. Um cheiro da paz risonha do encontro que é bom.

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não
conseguiria, ainda que tentasse. Havia algo maravilhoso para ser dado e recebido, daqueles presentes que a vida embrulha com os seus papéis mais bonitos e entrega, toda contente, a duas pessoas. Havia algo para ser trocado, e troca é quando duas vidas se sentem olhadas ao mesmo tempo. Havia algo que fazia um coração falar com o outro, ouvir o que era dito, gostar do que era dito, rir com o que era dito, sentir-se espelhado, sentir-se enternecido, querer brincar, muito além do que qualquer palavra, por qualquer motivo, por qualquer defesa, tentasse, em vão, esclarecer. Uma vontade de parar todos os relógios do mundo para eternizar a dádiva da presença compartilhada, e a impressão de que às vezes até conseguíamos.

Tumblr_lavlttlwgg1qa7jilo1_500_large
No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse. Havia algo que escapava, ileso, dos artifícios todos, todos tolos, que a razão arranjava para não deixar o amor fluir com a beleza dele, o chamado dele, a natureza dele. Amor sempre arruma brecha para escoar entre os dedos temerosos do medo. Pode ser que a gente sinta tanto receio e se proteja tanto, as feridas antigas cicatrizadas coisíssima nenhuma, que nem consiga vivê-lo em sua plenitude. Mas que ele escoa, escoa. Esparrama no sorriso. Escapole no olhar. Canta no silêncio. Diz.

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse. Havia algo que delatava o desejo, os quarteirões da gente todos iluminados com o fogo feliz da sensualidade, iluminadas as ruas todas que dão acesso ao lugar onde o corpo e a alma costumam se encontrar e dançar numa única canção. Havia algo que não podia ser negado, preterido, amordaçado. Algo que inaugura primavera, tanto faz se é inverno. Algo raro e precioso. Que é perfeito, ao mesmo tempo que consegue incluir todas as imperfeições. Que é lindo, ao mesmo tempo que consegue integrar as esquisitices todas que gente também tem. Havia amor e, de um jeito ou de outro, sabíamos sem nos dizer, havia chegado pra ficar.

O amor quando é amor é amor.
Da sábia Ana Jácomo

.




 





Fênix;

Cosmic_love_by_breaking_the_habitt_large
Agoniza virgem Fênix
O amor!
Entre cinzas arco-íris
Esplendor!
Por viver às juras
De satisfazer o ego mortal...

Coisa pequenina
Centelha divina
Renasceu das cinzas
Onde foi ruína
Pássaro ferido
Hoje é paraíso...

(Flávio Venturini e Jorge Vercilo)



Uma das minhas favoritas.
 

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A vida sem freio me leva;


E cada segundo, cada momento, cada instante
É quase eterno, passa devagar
Se o seu mundo for o mundo inteiro
Sua vida, seu amor, seu lar
Cuide tudo que for verdadeiro
Deixe tudo que não for passar
Palavras duras em voz de veludo
E tudo muda, adeus velho mundo
Há um segundo tudo estava em paz


;*




A poesia me fez  acreditar que as coisas podiam ser realmente melhores do que no fundo, eu achei que elas fossem. Como magia.

Lirian

.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

E como diz o poeta;

Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...


.



(...Afinal, não foram 9 dias, nem 9 meses. São 9 anos de amizade!
Uma pequena homenagem a você coisinha irritante.)



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

"E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo.
Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor.
Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras."

 
(Ana Jácomo)
 
.
 

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Chorei três horas, depois dormi dois dias.
Parece incrível ainda estar vivo quando já não se acredita em mais nada.
 Olhar, quando já não se acredita no que se vê.
E não sentir dor nem medo porque atingiram seu limite.
E não ter nada além deste amplo vazio que poderei preencher como quiser ou deixá-lo assim,
sozinho em si mesmo, completo, total.

CFA

.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Menos promessas;

"Eu não quero promessas.
Promessas criam expectativas e expectativas borram maquiagens e comprimem estômagos."

Tati Bernardi

.

 



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Um jeito novo de fazer;

Deitados em sua cama forrada por lençóis azul-turquesa, ele a fitou com ternura, acariciou o rosto dela com a parte externa da mão direita.
Com a mão esquerda, por baixo da blusa que a cobria - um tanto que transparente e convidativa -, escorregou a mão sobre o tronco superior dela,
do pescoço, passando por entre os seios até o umbigo.
Olhou-a de novo com um misto de intimação e afeição e lhe disse:
"Faz amor comigo, agora?".
Ela se assustou.
Olhou-o com ar de querer misturado com medo e lhe respondeu:
"Mas, não estamos sozinhos em casa!
A qualquer momento alguém pode abrir a porta!".
 O mesmo a encarou com um sorriso manso no rosto.
Pegou em sua mão, beijo-a.
Passou o seu dedo indicador da testa ao queixo dela.
 Pousou um beijo cheio de amor nos seus lábios.
Pregou os seus olhos amendoados nos olhos que pertenciam a ele e lhe retrucou com perspicácia: "Viu? Acabamos, mais uma vez, de fazer amor, sem nem se quer nos tocar por inteiro."
Puxou-a para perto do seu peito, afogou-a em seus braços.
 Ela sorriu, lisonjeada por ter conhecido ele, a quem tanto lhe ensinava sobre a divindade de viver e fazer o amor.
 Franciélle Bitencourt



.



Amanhecer;

Foi amanhecendo que aprendi a crescer, escutar, tocar sem tanta pressa, violência.
Foi amanhecendo que expulsei demônios como a arrogância e o desamor.
Foi amanhecendo que aprendi a corresponder minhas próprias angústias, meus anseios, meus medos, com todas as armas que um dia julguei necessárias.
Foi amanhecendo que aprendi a desviar, andar com cautela ou correr sem olhar para trás ou para o chão em cada caminho que a vida,
como sábia tecelã, assoprou aos meus pés.
Foi amanhecendo que diferenciei orgulho de amor próprio,
 o que era esperança do que era apego,
do que não vale a pena daquilo que definitivamente vale cada segundo dos meus esforços.
Amanhecendo encarei com mais certezas, menos ilusões e certamente mais leveza minhas possibilidades.

Lirian


.

domingo, 17 de outubro de 2010

Que sorte a nossa, hein?


Se há dores tudo fica mais fácil
Seu rosto silencia e faz parar
As flores que me manda são fato
Do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam
Os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte
Seria o acaso e não sorte

Nesse mundo de tantos anos
Entre tantos ou outros
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor.


(Vanessa da Mata)

.


 







sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Eu te escolhi;

Eu te escolhi.
Outros me olhavam, outros pareciam talvez
até um pouco mais interessantes, mas eu escolhi você.
Que esquisito, eu já havia escolhido outros outras vezes.
Dessa vez tudo foi diferente, dessa vez não era tão simples assim,
dessa vez havia um diferencial tão complexo:
você me escolheu também.


Maria Clara Machado
 
.
 
 
 
.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

"O mundo pode continuar feio que eu vou continuar sentindo coisas bonitas."



(Tati Bernardi)

.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Pride and Prejudice;


"Por mais que um dia tivesse conhecido a dor e a paixão, por mais que eu ainda tivesse um passado e quem sabe um futuro, por mais lembranças que eu carregasse, nada se comparava aquela estranha em minha vida.
Onde o mundo havia se mostrado rude, hostil e ambicioso, com a rotina que consome o dia e as loucuras que consomem a noite, ela veio como a estranha destinada a mudar as regras do jogo.
 A paz, a confiança, a saudade, o sorriso.
Comumente ela.
Ela se tornara o subterfúgio, a busca, o delírio diário."

Lirian

(...)

O post foi inspirado no atordoado amor de Elizabeth e Darcy, do livro e também filme "Orgulho e Preconceito". Na foto, o casal representado por Keira Knightley e Matthew Macfadyen.
Simplesmente lindo.

.




domingo, 10 de outubro de 2010

Tênue;

"Deus me esculpiu ao seu modo.
E me deu uma consciência com uma linha tênue entre o amor e a dor."

Lirian

.

"Daquilo que é óbvio, daquilo que nos faz um tanto bem maior,
daquilo que nos faz amadurecer diariamente:
 A capacidade que a gente tem de olhar no olho, de agradecer,
de poder dialogar, críticar com sensibilidade, com coragem.
Que a gente saiba valorizar cada momento nosso, porque todo mundo aqui já está automaticamente em extinção;
Só existe um de cada um de nós.
 Que a gente saiba cuidar muito disso..."



(Fernando Anitelli)
 
.
 

sábado, 9 de outubro de 2010

Não vai precisar de título;

Mas o pior não é não conseguir
É desistir de tentar
Não acredite no que eles dizem
Perceba o medo de amar
Eu cresci ouvindo anedotas, clichês e chacotas, frustrações
Sobre amasiar, se casar, se entregar seria fraquejar
Te amo, Te amo, Te amo
Te amo, Te amo, Te amo
E se o tempo levar você, e um dia eu te olhar e não te reconhecer
E se o romance se desconstruir,
 perder o sentido e me esquecer por ai
Mas nós somos um quadro de Klimt,
O beijo para sempre,
fagulhando em cores
Resistindo a tudo seremos dois velhos felizes de mãos dadas numa tarde de sol
Pra sempre

A música mais bonita dessa semana,
doce Vanessa da Mata!

.


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Que você venha pra modificar;

"Eu quero mesmo é alguém me faça mudar completamente de opinião.
Que faça meu corpo querer companhia nos momentos em que minha mente insiste pela solidão."

 
Caio Fernando Abreu
 
.
 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Elurofilia;

Ainda não descobri se tenho gatos ou se são eles que me tem...

Um beijo, da quase dona da Belinha e do Nino.

Hábitos saudáveis;

Deveríamos ter mais hábitos saudáveis.
Concordo com quem diz isso.
O bom hábito de acalentar um amor, fazer amigos (e conservar os bons e velhos),
de tomar banho de chuva, de tomar sorvete de casquinha em dia quente.
Deveríamos sorrir mais, brincar mais, brindar mais.
Admirar o voo, as asas, a queda deliberadamente livre.
Dizer mais vezes que ama, que sente saudade, olhar nos olhos com mais freqüência.
Sentir cócegas no estômago, abraçar mais e mais.
Realizar mais, ler mais, escutar mais.
Principalmente se ouvir mais.
Hábitos saudáveis aliviam o mau humor e contagiam de luz a treva interior.
Nos mantém com uma limpeza humana genial.
Não transforma o mundo, mas salva um dia sem muitas esperanças.


P.s.iu: a fé não costuma falhar!
 
Um beijo, da dona do Céu Amora =*

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O vencedor;

Olha lá, quem vem do lado oposto
Vem sem gosto de viver
Olha lá, que os bravos são
Escravos sãos e salvos de sofrer
Olha lá, quem acha que perder
É ser menor na vida
Olha lá, quem sempre quer vitória
E perde a glória de chorar
Eu que já não quero mais ser um vencedor
Levo a vida devagar pra não faltar amor

Los Hermanos

.


Good;

“Suspiro tanto quando penso em você, chorar só choro às vezes, e é tão freqüente.
Caminho mais devagar, certo que na próxima esquina, quem sabe.
Não tenho tido muito tempo ultimamente mas penso tanto em você que na hora de dormirvezenquando até sorrio
e fico passando a ponta do meu dedo no lóbulo da sua orelha
 e repito, repito em voz baixa te amo tanto, dorme com os anjos”

 Caio Fernando Abreu

.

domingo, 3 de outubro de 2010

Diamantes;

"A vida é igual garimpo.
 Não se percebe o diamante numa primeira olhada.
Por ser muito parecido com o cascalho, corre o risco de ser jogado fora.
Cascalhos e diamantes se parecem.
 A única diferença é que o diamante esconde o brilho sob as cascas que o revestem.
É preciso lapidar.
 Pessoas são como diamantes.
Corremos o risco de jogá-las fora só porque não tivemos a disposição de olhá-las para além de suas cascas.
E então, desperdiçamos grandes riquezas no exercício de alimentar pobrezas."



(Pe. Fábio de Melo)
 
.

sábado, 2 de outubro de 2010

A caixa de Pandora;

O cabelo é de duas cores. Assim como a aura.
Uma paixão nata por gatos, chocolates e doces.
 Pessoas doces.
Aprendi a amar e respeitar as loucuras de cada um.
Respeitando ou não minhas próprias loucuras.
Tem muita coisa que eu não entendo.
E não, não faço a menor questão de entender.
Sou complexa, praticamente um labirinto... mas um labirinto de vidro.
Isso existe? Tem como?
Eu explico (ou ao menos eu tento).
É como ser transparente, eu não sei mentir (não ao menos por muito tempo).
Minha ira, minha paixão, minha sede e minha fome transparecem pelo que eu sou.
É simples, mas difícil de entender.
Passo mais tempo sonhando porque acho mais fácil.
Não sou uma estrela.
Essa palavra é pequena.
Sou a constelação toda.
Não sou calma ou paciente. Absolutamente imperfeita.
A caixinha de Pandora, sabe?
Libertei de mim todos os males do mundo.
 Mais ainda conservo a esperança.

Da Lirian

.


Ressalvas;

"Todos nós somos assim, frágeis, em circunstâncias que fogem ao nosso controle. São as tais ressalvas.
A maioria delas provocada à força, quando somos revisitados pela mesma velha, humana e implacável sensação de abandono."

(Fernanda Young)
 
.
 
 

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Vanilla Twilight;

As estrelas se inclinam pra te beijar,
E eu fico acordado e sinto sua falta,
Sirva-me uma forte dose de atmosfera.
Porque eu vou pegar no sono seguro e são,
Mas vou sentir falta dos seus braços a minha volta
Eu vou mandar um cartão postal pra você, querida
Porque eu queria que você estivesse aqui.

Eu vou assistir à noite ficar azul claro,
Mas nao é o mesmo sem você,
Porque precisa-se de dois para sussurrar baixinho,
O silencio não é tão ruim,
Até eu olhar para as minhas mãos e me sentir triste,
Porque os espaços entre os dedos
São bem onde os seus se encaixam perfeitamente.

Vou encontrar repouso em novas maneiras,
Embora eu não durma há dois dias,
Porque uma nostalgia fria me arrepia até os ossos.
Mas encharcado em crepúsculo de baunilha,
Vou sentar na varanda a noite toda,
Mergulhado fundo em pensamento, porque quando eu penso em você.
Eu não me sinto tão sozinho.

(Owl City)
 
.