quinta-feira, 15 de julho de 2010

Aqui vai (...);

... um post sincero.
Dizem que o que mais admiramos nos outros é o que não enxergamos em nós.
 Talvez.
Eu amo a sinceridade das pessoas, a capacidade de assumir medos, fragilidades, dizer aquilo que se passa no coração e na cabeça sem temer represálias.
 Admiro mesmo.
Por mais que essa sinceridade me magoe, há uma diferença entre a verdade usada para construir e a verdade que se usa para ferir e destruir.
A intenção que mora nela é o que determina.
Talvez porque às vezes ou quase sempre, ou sempre mesmo, eu tenha medo do que sinto, minhas frases são uma tradução do meu medo, é o que se aproxima da minha verdade, da minha sinceridade. Tá ae!



Ninguém consegue perceber
E de pensar nisso tudo
Eu, homem feito
Tive medo
E não consegui dormir...

.


Nenhum comentário:

Postar um comentário