sexta-feira, 4 de junho de 2010

Vontades;


E era tão bonita que eu tinha vontade de provocá-la...
só pra ver acender o teu riso debochado.
A essência era tão nítida, perfeita e simples naquela criatura que eu tinha vontade de machucá-la, para ter o puro gosto de tocá-la.
Eu queria aprisioná-la em uma gaiola de ouro,
 para a ter junto comigo sempre,
 como um pássaro raro dado somente aos olhos do seu dono.
Mas a sua liberdade irriquieta e arteira jamais me permitiu isso.
Afora... ela era tão lindinha com aquele jeito despreocupado e o cabelo solto ao vento,
 que meu prazer  de dominá-la se dissipava
 no calor daquele sorriso que derretia minhas geleiras...


Lih Galinari

.


Nenhum comentário:

Postar um comentário