quarta-feira, 28 de abril de 2010

Ser e ser, eis a questão;

Sou os lugares por ande andei, sou os sonhos que tive (e sim, os que realizei), sou as pessoas que amei, que fiz sorrir ou chorar.
 Sou uma constelação de lembranças.
Sou o pedaço mais bonito e mais intenso de mim mesma.
Assim fui vivendo, dia após dia, respirando essa energia vital que me mantém mais em pé do que nunca.
Não que eu goste disso.
Não que eu goste desse pedaço de mim.
 Porque isso me lembra que não só de estrelas formei essa constelação.
Houve lembranças sangrentas, rasgadas, farpadas e inúteis no meio desse buraco negro particular.
Sou uma constelação, mas também uma colcha de retalhos ambulante.
Mas eu luto todos os dias e com todas as forças. Para não voltar atrás, nem por um segundo, nem por uma lembrança.
Pois assim diria Caio Fernando: “Tenho uma vontade besta de voltar, às vezes. Mas é uma vontade semelhante à de não ter crescido.”
Ser é essa parte, pedaço, fragmento incógnito de querer voltar e não poder.
 Como a planta que se poda para crescer (e florescer).

Lirian
 
.
 


sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bom dia mundo;




E hoje eu acordei 10 kg mais magra, mais bonita, mais feliz.
Era esse chumbo que eu trazia no peito, na consciência,que me deixava atarracada, sem vida e sem luz.
Hoje eu canto, danço, rebolo por todos os cantos da vida, feito criança feliz.
Igualzinha a uma criança feliz no seu balanço de cordas de ouro.
Hoje já não acordei tão perdida.
Não que tenha acordado excessivamente feliz ou indefinivelmente triste.
Mas acordei dando um belo bom dia ao mundo e a mim mesma.

Lirian

.

p.siu: enfim lar doce celular (já é o quarto celular em menos de um ano!).
p.siu.2.: mas eu juro que dessa vez a culpa não foi minha =*


.


quarta-feira, 21 de abril de 2010

B;


"Eu sofro sendo assim, eu sofro porque, quando você acha mais da metade do mundo babaca, você passa muito tempo sozinho."

(Tati Bernardi)

.


(u)tópicos;

E tinha:
um coração violado,
meia dúzia de livros
e uma alma inundada de esperanças e fome por novos dias.
Assim eram seus momentos de sonho.

Lirian

.



terça-feira, 20 de abril de 2010

O melhor filme da última semana;

Estados Unidos, 1935, um professor audaz, persistente e brilhante, alunos igualmente fascinantes e a história dos negros relatada num dos melhores filmes que já vi.


A melhor fala do filme:

"Quem é o juiz?
O juiz é DEUS.

Por quê o juiz é DEUS?
Por quê é ele quem diz quem ganha ou quem perde não meu
adversário.

QUEM é seu adversário?
Ele não existe.

Por quê ele não existe?
Porque ele apenas discorda da verdade que eu digo."

.

Curtam

.





quinta-feira, 15 de abril de 2010

(:


Pintinhas solares nos olhos. Luminescência.
Você é tão metade de mim, que me perco no todo, ao todo, sem você por perto.
Sorrisos de sonhos multicoloridos.
A presença brinca e brinda de felicidade no ar, tudo presença é alegria por todo lugar.
Abraços apertados de escarlate translúcido.
Você é o centro da calmaria, no meio do caos completo.

Lirian Galinari
 
.
 

segunda-feira, 12 de abril de 2010

A menina elefante;

Não, não falarei sobre filme do David Lynch, não se preocupem.
Falarei sobre eu mesma.
Eu gosto muito de fazer isso, até parece que assim me conheço mais, pode soar piegas esse texto, mas é desabafo... e vocês todos o escutarão.
Não tenho lepra (não que isso seja tão ruim ).
Nenhuma deformidade (vejam bem e quando me refiro a isso é àquela deformidade instalada na “alma”).
Não sou burra, nem feia demais.
Não tenho o tique de coçar o nariz.
Não grito muito alto em lugares que preferem o silêncio.
Sigo as regras de etiqueta quando a situação exige.
Tento ser uma pessoa agradável a maior parte do tempo.
Mas sou lilás.
E pessoas lilases não são bem aceitas.
Tu não és azul nem rosa... tu és o meio. Tu és a vã tentativa disso e daquilo.
Tu também serás rotulado como mentiroso... por teres omitido pequenas coisas, pequenas pistas que diriam quem tu és realmente.
Tu deves ao psicológo... por querer ser feliz. Sabes como é... felicidade ao extremo assusta. E eu assusto os outros.
Eu faço doer... aquilo que os outros querem esquecer.
E me sinto culpada por isso, mesmo sabendo que sou tão inocente quanto ao menino que come doces antes do jantar.
Cansei de olhares que me censuram.
Pessoas que não me entendem...
quero um segundo mundo...
uma segunda vida (essa está toda errada).
Então Deus me deu a chance de ser Midas... só que tudo que toco, vira tristeza.
Ou será que querem que eu acredite nisso?
E quando eu estiver descrente dos abraços apertados, sorrisos largos...não se preocupem, já, já arrumo uma fé inabalável... uma certeza e coloco a felicidade no meu caminho novamente.
Homens, mulheres, meninas elefantes acabam cedo ou tarde provando que os outros são mais deformados que eles mesmos.
Sociedade hipócrita...
eles podem ser azuis, rosas, amarelos... e eu sempre serei a estranha.
Azar daqueles que não me aceitam. Azar só deles.
(Natália Anson Lima)
 
.
 

domingo, 11 de abril de 2010

Dane-se;

"Vence quem passa por essa vida rindo. E se o preço que se paga por ser um pouco feliz é ser um pouco idiota, dane-se."



(Tati Bernardi)


.


sábado, 10 de abril de 2010

Quem me dera ao menos uma vez;


Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!
Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do iní­cio ao fim.

E é só você que tem
A cura do meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

(Renato Russo)

.



sexta-feira, 9 de abril de 2010

10 coisas que eu odeio em você;


Achei no blog "Costurando Estrelas" e achei tão significativo, que tive que postar aqui também.
A melhor parte do filme, sobre uma garota turrona e um mentiroso cativante.

In Memorian: Heath Ledger <3

.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Foi;


"Eu me larguei nessas imensas curvas do cotidiano, me deixei levar.
Olhei as crianças brincando, os pais sorrindo, o parquinho e o pula-pula da praça municipal e nem assim você foi embora. Você não vai embora, tá aí o meu problema.
Sentir dor no peito, falta de ar, náusea. Que são dores porque eu te amo e você jura que isso é só TPM.
Sentir essa falta desgraçada do seu sorriso, daquela piada no cinema ou sobre a vida dos outros.
Sentir essa puta vontade de largar tudo, de tirar férias com você e só com você, ir para Bali, Santorini ou a Chapada dos Veadeiros, qualquer lugar onde eu possa me abrigar na tua paz.
Você fica longe de mim agora, longe do meu abraço exagerado e dos meus dedos que desenham a curva do teu queixo quando você está próximo. Isso me enche de vontade de te dar uns bons tapas pra você parar de ignorar o meu amor.
Aí essa vontade passa e eu sinto uma vontade muito maior (você reparou que se tirarmos o “i” e manipularmos as letras “maior” vira “amor?) de estar com você.
O problema é desejar agora que essa vontade passe, mas que passe lentamente, pois até a dor que me provoca é algo bom."

Lirian Galinari

.









Ou;


"E eu desejei essa força nova, essa vontade nova de mundo, pra me sentir por perto.
De mim.
 Como olhar os filamentos de uma lâmpada e ver todo um arco-íris. Eu desejei tê-lo na palma da minha mão.
Eu desejei e desejo. Coisas boas pra nunca esquecer, coisas ruins para fortificar e coisas mornas. Não, não quero nada morno aqui.
Ou é paixão ou não é nada."




Lirian Galinari

.


quarta-feira, 7 de abril de 2010

Zilhões de vezes;


"Eu posso sentir isso de novo. Que bom. Achei que eu ia ser esperta pra sempre, mas para a minha grande alegria estou me sentindo uma idiota. Sabe o que eu fiz hoje? As pazes com o Bob Marley, com o Bob Dylan e até com o ovomaltine do Bob’s. As pazes com os casais que se balançam abraçados enquanto não esperam nada, as pazes com as pessoas que não sabem ver o que eu vejo. E eu só vejo você me ensinando a dar estrela. Eu só vejo você enchendo minha vida de estrelas. Se você puder, não tenha medo. Eu sou só uma menina que voltou a ver estrelas. E que repete, sem medo e sem fim, a palavra estrela no mesmo parágrafo. Estrela, estrela, estrela. Zilhões de vezes."



(Tati Bernardi)
 
.
 

domingo, 4 de abril de 2010

So kiss me;


Kiss me out of the bearded barley.
Nightly, beside the green, green grass.
Swing, swing, swing the spinning step.
You wear those shoes and I will wear that dress.

Oh, kiss me beneath the milky twilight.
Lead me out on the moonlit floor.
Lift your open hand.
Strike up the band and make the fireflies dance,
silver moon's sparkling.
So kiss me.

.


Beije-me longe da moita de cevada
Todas as noites junto à verde, verde grama
Balance, balance, balance o degrau giratório
Use aqueles sapatos e eu usarei aquele vestido

Beije-me sob o crepúsculo
Guie-me pra fora, no chão iluminado pela lua
Levante sua mão aberta
Faça a banda tocar e faça os vaga-lumes dançarem
A lua prateada está brilhando
então me beije

(Sixpence None The Richer)

.


 

sábado, 3 de abril de 2010

Verità;


Aprendendo a ser céu e não tempestade.
Ainda que me doa pela teimosia escarlate que tive durante todos esses anos.
A minha ilusão de independência me levou a dependência dos pensamentos e todos eles me direcionavam a pessoas que realmente não me amavam. E eu as queria mais que tudo. Queria?
Eu pintava essas mentiras no espelho enquanto me enfeitava para alguém que não me enxergava. Não me enxergava por dentro.
Eu era frente de batalha.
 Eu era benevolente, amiga, conselheira, compreensível e me tornei dependente dessa imagem de boa moça.
Triste quando a gente se dá conta disso.
Eu olhava pra você e te acalentava, como se isso apagasse os meus defeitos.
Eu gostava quando você corria para o meu colo, por que eu sentia você na palma da minha mão. Eu sentia que você precisava de mim e do meu amor gratuito e pouco exigente.
Mas eu estava errada.
Era eu quem estava tolamente na palma da sua mão. E era eu que precisava de mim mesma.
Triste quando a gente se dá conta disso.

Lirian Galinari

.



Fechar os olhos;



Hoje eu corro
Pra chegar na hora
Tenho sono
No lugar onde você mora
Beirando a calçada
Contando os passos
Senti o gosto de te dar um bom lugar

Você me cobra olhar nos olhos
Pra enxergar o lado de fora
Feche as portas quero dar mais uma volta
Você me deixa sem ar
Pra conter o meu impulso
Vou fechar os olhos e desviar
Da sua rota arriscada

(Luxúria)

p.siu: eu perco o sono quando você vai embora

.




Não mesmo;


"Porque eu me apaixono tão fácil e demoro tanto pra esquecer?
Do que me adiantou por todos esses anos ter um cérebro de jogadora, uma mente hábil e centrada, com raciocínios rápidos e inteligentes, mas se nasci com um coração burro, atordoado e inundado de amor até as veias. Isso não devia acontecer com a gente."


Lirian Galinari

.