domingo, 21 de março de 2010

6.935 dias;


Durante esses 19 anos da minha existência eu sempre me enxerguei como uma pequena cobaia. Não sei de quem. Mas sei que sou uma experiência (assim como você, o seu vizinho, a sua avó materna) de até onde o ser humano é capaz de chegar. Viver é um aprendizado. É verdade.
Ao longo do tempo, desses não-exatos 6.935 dias de vida, eu aprendi a andar, comer com talher, ler, escrever, dizer “obrigada” e “por favor”, entendi o que era teoria do caos, eletromagnética, regras de acentuação e interpretação de texto, que a Ásia é o continente mais populoso do mundo. Aprendi que bebida alcoólica altera os meus sentidos, que o que mãe diz acontece e que não sou boa em matemática (apesar de me esforçar muito, ok).
Mas o que mais me intriga, é saber que em todo esse tempo presa nesse corpo, nesse CPF, nessa consciência marcada, é que nunca fui capaz de ter um autocontrole sobre mim e sobre o que sinto.
Podem atribuir a minha personalidade a uma criação, ao fato de ser ariana ou simplesmente dizerem “é a natureza da menina, gente.”
A gente não foge do que é, a gente não foge do que sente, a gente cria uma peleja entre o coração e o cérebro, sendo que o primeiro é campeão peso-pesado invicto.
Sei que sou e quem sou, mas não sei explicar. Porque não podemos explicar o que somos, não dá!
E como então você vai tentar explicar o que se sente a alguém que não sabe o que é?
Eu desisto, é sério.
Mas estou satisfeita por não ter como rotular tudo, principalmente o que eu sinto, por quem sinto e o tamanho do que sinto.
Acho isso tão bonito.



Lirian Galinari

.





2 comentários:

  1. Lirian, acessei e conheci o seu blog. Eu não sabia que tinha. Já vi o link em outros blogs, acho que no William, mas nem atentei. Olha, apesar de você dizer que não consegue se descrever, se definir, o seu blog faz isso pra você, e o seu jeitinho também. Tudo revela só coisa boa. Falo muito sério, viu? Parabéns por ter desenvolvido esse belo espaço, tal qual você. Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo carinho, Fabrício! Me sinto muito honrada mesmo pela visita. Você é mais do que bem-vindo ao Céu Amora.


    =*

    ResponderExcluir