quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Boneco de porcelana;



Agora eu beijo a boca de um boneco de porcelana
Pobre boneco lindo
Desfeito em seus sonhos, que eu vou arrancar
Eu não vim te amar, eu vim te desiludir, roubar o seu coração
Ops... agora ele não é mais seu
Eu amo seu império de fracassos, sua babel de mentiras
Eu amo a sua ausência e tudo que ela me tira
Pobre fantoche encantado
Brinca de ser feliz num mundo de fantasia
Vive rodeado de bobos-da-corte sem alma
Chega de acalentar você, bonequinho de brinquedo
Eu amo a sua decadência, sua falsa realidade
Eu amo saber a verdade sobre você e te julgar perdedor
Pobre personagem do acaso, lindo em seu manto de dor




.







Nenhum comentário:

Postar um comentário