segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O amor não é tédio, o amor é filme


O amor é filme
Eu sei pelo cheiro de menta e pipoca que dá quando a gente ama
Eu sei porque eu sei muito bem como a cor da manhã fica
Da felicidade, da dúvida, dor de barriga
É drama, aventura, mentira, comédia romântica

(Cordel do fogo encantado)

.
p.siu: a dona desse blog acha o amor uma coisa extraordinariamente curiosa :)
p.siu 2: a dona desse blog devia estar estudando pra sua prova :(

Deus lhe pague




Pelo prazer de chorar e pelo "estamos aí"
Pela piada no bar e o futebol pra aplaudir
Um crime pra comentar e um samba pra distrair
Deus lhe pague

(Chico Buarque)

.
Cara, eu preciso de férias!
Já faz tempo que cheguei a essa conclusão (mais ou menos desde que as aulas começaram), mas agora, finalzinho de semestre é quando eu acho que mais preciso realmente de férias, deve ser porque é quando eu tomo vergonha na cara e estudo pra valer.
Tá, tá, são só mais duas provas, penal e civil, que vão no mínimo arrancar o meu coro...e claro, depois aquela tortura de saber se você passou ou não e tals...
mas ai, quando você menos espera: fériiiiiiiaaaaassss!
E quando você percebe: o semestre começa tão depressa quanto suas férias acabaram.

(Ó vida, ó céus...)




p.siu: eu devia estar estudando pra prova de hoje :(

domingo, 29 de novembro de 2009

No fim desses dias...



..encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro. Mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem...".




(Caio Fernando Abreu)
 
 
p.siu: um pedacinho de hora comum no fim de um domingo.

Espera(nça)!


A esfera
é a fera de saber
que da minha espera
nasceu você

.

p.siu: Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
(Arnaldo Jabor)
p.siu 2: tive um sustinho feliz hoje :)

Ela e o nosso amor






Mesmo quando está cansada e chega com aquelas olheiras abissais, fundas e negras... ela ainda assim é a mais bonita.

E todas as horas ao lado dela são como os primeiros segundos do beijo na escada cinza e gasta.

Não poderia mais ser eu sem a presença dela.

Menina-princesa que é dona do meu castelo.

Menina-estrela que clareia o meu caminho.

Menina-fada que me empresta pó mágico colorido para tornar menos monótona a vida.

Menina-mulher que tira a minha roupa, que consome meu corpo (que antes era triste).

Menina-moça que me faz sonhar.

Menina-amor que tem a minha alma.

Menina-amora que sabe que é pra sempre.

(Natália Anson Lima)
 
p.siu: meninas são tão mulheres, seus truques e confusões...

sábado, 28 de novembro de 2009

Leminski

Um escritor, um poeta, um letrista, um tradutor, um músico, um professor, um ídolo:

Paulo Leminski Filho
Esse curitibano teve uma maneira muito própria (e encantadora) de escrever, sempre com seus poemas curtos, sua vanguarda e sua polivalência.
Incrível Leminski!

Moinho de versos
movido a vento
em noites de boemia
Vai vir o dia
quando tudo que eu diga
seja poesia
.

Curabilidade


Curar tudo de um modo carinhoso é tão doloroso quanto simplesmente curar-se, sei disso, já estive algumas vezes no inferno que a dor nos proporciona e eu te digo, com toda fé de alguém que já possuiu ferimentos quase incuráveis: a dor vai passar.


Não de um todo, lógico, fica-se uma cicatriz, uma marca de que ali, naquele pedaço do seu coração, existiu alguém algum dia, ou também um fato, nunca se sabe o que nos causa um ferimento (uma bala, um punhal cravado, um amor mal resolvido, alguém que se foi e você não pode dizer adeus), são N possibilidades...

E estranhamente a vida esta lá, todos os dias, por mais que você tente não pensar nela, por mais que você a rejeite.

Ela te espera, te chama pelo nome e te conduz por uma nova trilha dizendo: “vá em paz meu querido, não seja fraco, ingrato ou manso.”

O ferimento lateja, principalmente nos dias nublados, e você tem duas opções: curar-se com amor ou alimentar a ferida com ódio e dúvida.

Sinceramente, o primeiro caminho é penoso, mas a cicatrização é excelente, libertar-se é algo que nos cura a alma. Ou você pode escolher a segunda opção, mas essa, hum, só vai ajudar a dilacerar ainda mais o sangramento.

Fazer-se sorri com um coração em pedacinhos não é fácil, mas é melhor do que esperar que venha alguém com uma fórmula de cura que não existe.


p.siu: inspirado em Fernando Pessoa (suspiros apaixonados)
p.siu 2: mas a verdade é...não há como fugir.

Preferências

Queria que ficasse registrado que o blog da madame aqui foi feito para compartilhar, além de textos meus, textos de autores que me marcam, letras de músicas que me emocionam, fatos cotidianos que me encantam ou que exercem alguma influência...


p.siu: a quem possa interessar, Céu Amora foi escolhido como uma espécie de bolinhas aleatórias, são simplesmente minhas duas palavras favoritas no dicionário =]

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Calvin e Haroldo


Eu preciso fazer um texto pra esse cara. Melhor, eu preciso publicar um texto pra esse cara!
Eu pensei isso hoje de manhã.
O cara em questão é a pessoa mais irônica que eu conheço, mesmo quando não tenta ser.
Pensei diversas vezes com quais duplas dinâmicas nós nos parecemos, a conclusão foi nenhuma (nem sequer somos dinâmicos!).
Batman e Robin são ativos demais pra nós, Cérebro e Pink, bom esses até dariam certo se fossem dois Pink's...porque não Calvin e Haroldo...perfeitos!
O mau humorado e azarado Calvin e o fofo tigre Haroldo ( Ha Ha, já ficou claro que eu sou o Haroldo).
Na verdade, no fundinho mesmo, nos parecemos mais com eles pela forte amizade e amor incondicional de um menino com seu tigre de pelúcia.
Jhiones, meu querido Calvin, espero ser o seu tigre de pelúcia por uma bela eternidade!

P.s: justo hoje que você não está usando a cueca de foguetes eu tinha que publicar isso :)

O menino da chave dourada


Era uma vez uma princesa, que vivia em algum lugar que nem se eu te explicasse você entenderia, essa princesa tinha um castelo, um cavalo branco, um vestido de cetim rosa e um príncipe. Parecia tudo perfeito. Até ele chegar.


Um forasteiro, que tinha um nariz de bolinha e uma nuca sedutora (que nuca, meu Deus!), mas ele tinha algo mais, trazia em si tatuado no pulso uma chave, que nem aquelas chaves bem antigas, dourada...a chave reluzia no sol com todos os movimentos do forasteiro.

Era intrigante, era surreal, a chave encaixava-se perfeitamente a sua tatuagem de coração, no pulso, que no meio possuía a marca de uma fechadura...

Ela pensava ironicamente em seu coração trancafiado em todos aqueles anos, certa de que sua chave fora roubada e perdida para todo o sempre e seu coração morreria sem conhecer o seu verdadeiro dono...e lá estava ela!

Reluzia forte, imperiosa, no pulso daquele forasteiro que tinha alma de luz.

Seus olhos brilhavam a medida que ela admirava, o sangue latejando nas têmporas, nenhum som lhe saia da boca. Ele falou. Tinha voz de sinos, de anjo, como era lindo ouvir.

Ela precisava tocar lhe o pulso, a face, acreditar que ali estava o verdadeiro encaixe do seu coração. E o fez.

Perfeito. Dizia um anjinho lhe sussurrando ao ouvido, ele veio, ele existe.

A chave girou e abriu o coração da princesa.

Agora ele era um lugar aquecido e cheio de luz, como a alma do menino da chave dourada.

E ela o seguiu, deixou seu castelo, abandonou seu vestido e tudo mais que falsamente lhe pertenceu um dia.

O menino da chave dourada era tudo o que lhe pertencia verdadeiramente, era solidamente seu lar, sua sina e seu destino.



Bom dia comunidade :D

Pra inaugurar nada melhor que uma das falas de Caio Fernando:
"E tem o seguinte meus senhores, não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir.
Pelo contrário:
vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda."